Arquivo da tag: P. C. Cast

5.097 páginas

Como sempre, no início do ano gosto de fazer uma lista dos livros que li no ano anterior…
Devido ao TCC da faculdade no primeiro semestre de 2013, me dedicar ajudando algumas amigas com os seus TCCs no segundo semestre, e também a uma cirurgia que fiz no olho, o ano acabou não sendo muito produtivo para leitura. Digo isso em quantidade de livros e um pouco de qualidade. Mas mesmo assim, vou fazer a lista para não perder o costume :p

JANEIRO
Despertada – P.C. Cast, Kristin Cast
Refúgio – Harlan Coben
Especiais – Scott Westerfeld
Minha vida daria um livro – Carlos Marcelo Levín
O Rosto que Precede o Sonho – Maurício Gomyde

MARÇO
Web Marketing e Comunicação Digital – Paulo Kendzerski
A Garota da Capa Vermelha – Sarah Blakley-Cartwright, David Leslie Johnson
Comprometida – Elizabeth Gilbert
Destinada – P. C. Cast, Kristin Cast
Extras – Scott Westerfeld

JUNHO
Roteiro Básico para Apresentação e Editoração de Teses, Dissertações e Monografias – Amélia Silveira, Evanilde Maria Moser, Nessis Davina Lenzi Cristelli, Alberto Cezar Rodrigos, Émerson Antônio Maccari
A Minha História com Bob – James Bowen
Tempos Felizes – Gilmar Marcílio

AGOSTO
Não Faz Sentindo – Felipe Neto

SETEMBRO
Diário de Um Banana: A Verdade Nua e Crua – Jeff Kinney

OUTUBRO
Não conta para os meus pais – Pilar Guembe

DEZEMBRO
Assassin’s Creed Renascença – Oliver Bowden
J.R.R. Tolkien – O Senhor da Fantasia – Michael White
Uma Questão de Segundos – Harlan Coben

Marcada

Estava lendo o livro “Marcada”, e de certa forma até me identifiquei com a personagem principal Zoey.

“À primeira vista meu “padrastotário”, John Heffer, parece um cara legal, até mesmo normal. (Sim, o sobrenome dele é esse mesmo: Heffer: mulher gorda). Quando ele e minha mãe começaram a sair juntos eu cheguei a ouvir por acaso algumas amigas de minha mãe chamá-lo de “lindo” e “charmoso”. No começo. Claro eu agora minha mãe tem outro grupo de amigas; aquelas que o senhor “lindo e charmoso” considera adequadas para minha mãe do que as amigas divertidas e solteiras com as quais ela costumava sair.

Eu nunca gostei dele. Mesmo. Não estou dizendo isso só porque não o suporto agora. Desde o primeiro dia em que o vi, só enxergo uma coisa: um fingidor. Ele finge que é um cara legal. Ele finde que é bom marido. Ele até finde que é um bom pai.

Os riscos são meus, acho que não parecia tanto 🙂